Artesanato

Nos tempos de D. Dinis era uma terra coberta por um denso matagal, o que levou o monarca a dividir o território da atual freguesia em dez colonatos que foram entregues a cultivadores directos que passariam a ser denominados de Almagreiros. 
 
A outra ocupação dos habitantes de então era o fabrico de artefactos de madeira de pinho e de objectos de olaria, construindo as suas casas e as diversas capelas com adobos de barro.  Nesta freguesia possuiu uma quinta o célebre historiador João de Barros e na capela desse lugar insculpida na verga da porta, ainda se guarda uma inscrição de 1671.